terça-feira, 2 de outubro de 2018

Perdendo-me - Cora Carmack - Ed. Novo Conceito


As características da personagem principal são meio utópicas e surreais, mas fora (tudo) isso, o livro até que é bem viciante. Bliss Edwards vai se formar na faculdade, tem um melhor amigo que é apaixonado por ela, é bonita, atraente e ainda é virgem. Oi?

Ela conhece um cara lindo e super carismático em um bar, os dois sentem-se mega atraídos um pelo outro, mas ela tem um ataque de pânico na hora H e foge dele, dando uma desculpa mega esfarrapada. No dia seguinte, quando ela chega para o primeiro dia de aula, quem entra na sala para se apresentar como o novo professor? O próprio!

No começo, talvez por essas características meio dãããã da protagonista, a leitura estava meio devagar. Porém, como vocês sabem, eu nunca desisto de um livro. Ainda bem! Porque do meio pra frente eu já estava viciada e não conseguia mais parar de ler. Garrick e Bliss ão um casal cativante. E Cade, o melhor amigo apaixonado, é um querido!

Sobre a Autora

Cora Carmack é uma escritora de vinte e poucos anos que adora escrever sobre personagens de vinte e poucos anos. Ela já fez de tudo um pouco: teatro, vendas, aulas. Adora ir ao teatro, viajar e qualquer coisa que a faça rir muito. Seus personagens circulam pelos ambientes e situações mais improváveis, e Cora sempre os ajuda a arranjar um namorado ou namorada no final. As pessoas improváveis também precisam namorar, não é? Seu primeiro livro, Perdendo-me, figurou nas listas de mais vendidos do The New York Times e do USA Today.

Fonte: Skoob

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Quando eu Parti - Gayle Forman - Ed. Galera Record



Esse livro mexeu muito comigo, talvez por eu ser mãe de dois, sempre tão atarefada e tentando dar conta de tudo, como Maribeth. Não que eu pareça muito com ela, porque sou bem feliz e não estou cheia de incertezas e frustrações como ela está, e talvez por isso mesmo o livro tenha me tocado tanto. Vou explicar.

Maribeth pensa em tudo: no emprego, no marido, nos gêmeos. Ela mesmo acaba vindo sempre por último. Se você é mãe, isso lhe soa familiar? Cof, cof.

Exatamente por isso nem percebe quando sofre um infarto. Esse infarto mexe muito com o emocional dele, e Maribeth acaba tomando um atitude inesperada e drástica: vai embora de casa, largando tudo.

Agora, PAREM um minuto e imaginem eu, mãe de dois, louca pela minha família mas igualmente exausta algumas vezes, lendo isso. Não sabia se eu queria dar um abraço solidário nela ou encher a cara dela de tapa. 


Eu não sei sinceramente como ela conseguiu suportar a saudade dos filhos e a preocupação com o bem estar deles. Mas, acompanhar a redescoberta dela mesma e esse tempo para ela respirar e levar uma "vida egoísta" novamente foi muito rico.

Resumindo,  eu AMEI esse livro exatamente por essa enxurrada de sentimentos contraditórios que ele causou em mim. Recomendo!


Sobre a Autora

Gayle Forman começou sua carreira escrevendo para a revista Seventeen em que a maioria de seus artigos, centrada nos jovens e preocupações sociais. Mais tarde ela se tornou uma jornalista freelance para publicações como a revista Details, Jane Magazine, Glamour Magazine, The Nation, Elle Magazine e Cosmopolitan Magazine.

Em 2002, ela e seu marido Nick fizeram uma viagem ao redor do mundo. De suas viagens, ela acumulou uma riqueza de experiências e de informações que mais tarde serviu como base para seu primeiro livro, um diário de viagem que você não pode começar lá a partir daqui: um ano na margem de uma Shrinking World. Em 2007 ela publicou seu primeiro romance para jovens adultos, intitulado de Sisters In Sanity onde ela se baseia em um artigo que tinha escrito para a revista Seventeen. Seu mais recente romance If I Stay (Se eu ficar), fez Forman levar vários prêmios, entre eles o Indie Choice Award de 2010.


Fonte: Skoob

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Tensão - Gail McHugh - Ed. Arqueiro


Géntchy!!! Que livro viciante!!! E essa capa? Uau!!!

Emily e Dillon são namorados que moram em cidades diferentes. Depois que a mãe de Emily morre, Dillon a convence a se mudar para mais perto dele. Instalada em NY, ela consegue um emprego como garçonete e logo em seu primeiro dia conhece por acaso o milionário Gavin Blake, que depois ela vem a saber que é amigo de seu namorado. 


Só que rola uma conexão forte e uma super química entre os dois, mesmo antes de saber que Dillon era amiga de Gavin. E, no caso, essa conexão não diminui depois que eles ficam sabendo disso.

Rola toda uma tensão em relação á traição, lealdade, respeito, amor e amizade.....e assim a história vai se desenrolando.

Essa história super me prendeu, o que fez eu ter a certeza de que vou seguir com Pulsação assim que possível. Uhuuuu!!!

Sobre a Autora
Gail McHugh estreou na literatura com Tensão, que, junto com sua continuação, Pulsação, figurou na lista de mais vendidos do The New York Times. Chocólatra assumida, ela é casada há mais de quinze anos e tem três filhos.

Fonte: Skoob

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Casagrande e Seus Demônios - Walter Casagrande - Ed. Globo Livros

Sinceridade. Para mim, essa é a palavra que mais resume essa biografia. Ela desnuda fatos, sentimentos e pensamentos do ídolo corintiano Casagrande, ex craque de futebol, comentarista aclamado da Rede Globo e dependente químico.

Eu torço para o Santos mas, mesmo assim, achei o livro muito bom. Para quem torce pelo Corinthians, é um prato cheio. Ele fala de várias passagens importantes do clube, incluindo a mais emblemática: a democracia corintiana.

Fora isso, tem toda a questão da dependência química, tudo o que ele passou e o quanto é difícil entender e aceitar que se é um dependente químico, e que essa doença não tem cura.

Outro assunto que é muito abordado no livro é música. Para quem gosta do tema, o livro traz muitas passagens bacanas, principalmente sobre rock, estilo musical preferido de Casão.

Há várias páginas com fotos de vários momentos do jogador. Dá pra viajar no tempo.

Super recomendo a leitura! Nua, crua, sincera, visceral. Assim como seu autor.

Sobre o Autor

Walter Casagrande Júnior é um ex-futebolista brasileiro que atuava como atacante. Atualmente, trabalha como comentarista de futebol em jogos de transmissão ao vivo pela Rede Globo.


Fonte: Google

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Bienal do Livro 2018



E lá fui eu para mais uma Bienal do Livro! Em 2016 não deu pra ir porque eu estava recém-parida, com meu segundinho muito pequenininho para ficar horas longe da mamãe. Mas, este ano, eu estava a postos para entrar no paraíso. hahahahah. Sim, porque estar num lugar lotado de livros, para mim, é tipo um paraíso, mesmo.

Mais uma vez, como escrevi no meu balanço da Bienal de 2014, a feira estava lotada de adolescentes e crianças! Muitas excursões escolares e muitos grupos de jovens com sacolas cheias. Muito bom ver isso! Dessa vez, vi muito mais crianças do que adolescentes. E adorei! Incentivo à leitura e à cultura tem que existir desde bem cedo. Quanto antes, melhor!


Fui em uma quarta-feira à tarde, logo depois do almoço. Os ônibus que levavam os visitantes da estação do metrô até o Anhembi eram super organizados e vinham a todo minuto. Esperei só uns 10 minutinhos na ida e uns 2 minutinhos na volta. Super recomendo utilizar este serviço!


Na Bienal, achei bem lotado (apesar de a imprensa ter divulgado que a feira esperava 700 mil visitantes e recebeu pouco menos que isso)  e os estandes mais legais tinham filas no caixa para pagar. Como eu estava com pouco tempo, isso me atrapalhou e acabei nem comprando livros para mim justamente porque não queria perder tempo em filas.


Os preços estavam bons em alguns estantes, com livros ótimos por R$10,00, mas em outros os títulos estavam bem mais caros do que conseguimos encontrar em livrarias virtuais.


A boa pedida foram os livros infantis. Ótimos títulos por R$5,00 e R$10,00. Trouxe 3 pra casa: Folclore Brasileiro, Corpo Humano e Espaço Sideral. :)


Fora isso, a beleza de alguns estandes foi um show à parte. O túnel de livros da Intrínseca tinha até fila para tirar fotos, assim como o trono de ferro do estande da Editora Leya.


E vocês, o que acharam? Me conta nos comentários!


terça-feira, 7 de agosto de 2018

Fome - Michael Grant - Ed. Galera Record


Esse é o segundo livro da série Gone, uma série voltada para adolescentes que tem uma proposta super original e bem bacana. A série traz várias reflexões sobre o que realmente importa, consumo consciente e outras questões, incluindo autismo, anorexia e bulimia. Achei o segundo volume bem legal, começando já com todo o mistério envolvendo Pete, que talvez seja o personagem mais misterioso e complexo da trama.

Até o meio do livro, a leitura estava rolando meio arrastada, mas depois da página 350 a história voltou a ter ritmo e acabamos entendendo, enfim, o que realmente é a Escuridão.

O final do livro é cheio de ação e deu uma curiosidade boa de saber o que vai rolar no Mentiras, que no caso já está aqui comigo, na minha estante, só esperando a hora H.

A série conta com os seguintes livros:
- Gone
- Fome

- Mentiras
- Praga
- Medo

Sobre o Autor


 Michael Grant é o co-autor das séries Animorphs e Everworld, como também criador e autor das séries Gone e The Magnificent 12. Michael cresceu numa família militar, frequentando dez escolas em cinco estados e três escolas na França. Quando adulto, se tornou um escritor em parte porque "era um dos poucos trabalhos que não iria prendê-lo a um lugar específico". Ele vive em Irvine, na Califórnia, com sua esposa, Katherine Applegate, seus dois filhos, e muitos animais de estimação.

Fonte: Skoob

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Gone - Michael Grant - Ed. Galera Record


O livro Gone é o primeiro da série Gone (me dá raivinha essas séries que tem o nome do primeiro livro hahaha - falta de criatividade pouca é bobagem). É um livro voltado para adolescente, bem teen, mas que traz ensinamentos e questões importantes para qualquer ser humano. A história é super original, e foi isso o que me fez ter vontade de ler a série.

Os acontecimentos são muito bem construídos e apresentados de maneira envolvente. Quando você percebe, já está viciado. Em um belo dia, todas as pessoas com mais de 14 anos simplesmente desaparecem. Quem fica, tem 14 anos pra baixo. São bebês, crianças na primeira infância, pré-adolescentes e adolescentes vivendo, de um segundo para o outro, sem energia elétrica, sem supervisão e com quantidade limitada de todos os bens perecíveis. Obviamente, ninguém entende nada e o local vira um caos completo.

Esse sumiço aparentemente aconteceu em um determinado raio, que está envolvido por uma grande bolha que separa o local "proibido para adultos" do resto do mundo. Então, eles não sabem se seus pais foram jogados para folha da bolha, se eles morreram, se ele foram abduzidos... no meio disso tudo, algumas dessas crianças começam a desenvolver poderes especiais, um diferente do outro. Aí formam-se duas facções: a que quer dizimar essas "aberrações" e a que quer união e paz para vencer cada desafio imposto por essa situação inusitada. Além desses dois lados, há ainda o bem e o mal, pois alguns desses adolescentes são bem cruéis e querem o poder do local, chamado de LGAR. Eles formaram o grupinho dos bad boys para atacar os mocinhos da história.

Quando acabei de ler Gone, já comecei Fome na sequência, de tão curiosa que eu estava. Estou louca para saber onde foram parar os pais dessas crianças.

A série conta com os seguintes livros:
- Gone
- Fome

- Mentiras
- Praga
- Medo

Sobre o Autor


 Michael Grant é o co-autor das séries Animorphs e Everworld, como também criador e autor das séries Gone e The Magnificent 12. Michael cresceu numa família militar, frequentando dez escolas em cinco estados e três escolas na França. Quando adulto, se tornou um escritor em parte porque "era um dos poucos trabalhos que não iria prendê-lo a um lugar específico". Ele vive em Irvine, na Califórnia, com sua esposa, Katherine Applegate, seus dois filhos, e muitos animais de estimação.

Fonte: Skoob


segunda-feira, 30 de julho de 2018

Irresistível - Sylvia Day - Ed. Hamelin


Que livro ridículo, Braseeeeel!!! Este é um romance histórico e erótico ao mesmo tempo. Jessica, uma mulher prestes a se casar, viu um dos convidados do seu casamento no meio de uma relação sexual com uma mulher. Ela ficou assistindo sem conseguir se mexer, extasiada, e a cena nunca saiu de sua cabeça. Ela foi feliz com seu marido, mas ele acabou falecendo. Decidida a recomeçar sua vida, Jess viaja para o Caribe e acaba encontrando o homem que ela viu no meio do ato no mesmo navio.

O livro é sem graça, mal escrito, bobo e a linguagem rebuscada acaba tornando a história ainda mais ridícula. Palavras e expressões péssimas, do tipo "falo rijo" 🤣, são usadas diversas vezes durante a narrativa. Eu, particularmente, não via a hora de o livro acabar.


Sobre a autora

Sylvia Day nasceu em 1973, em Los Angeles. Publicou romances dos mais variados gêneros, muitos dos quais entraram para a lista de mais vendidos do New York Times, com três pseudônimos diferentes. Mãe de dois filhos, trabalhou como tradutora do russo para o serviço de inteligência do Exército dos Estados Unidos. 


Fonte: Skoob

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Sedutor - Christina Lauren - Ed. Universo dos Livros


Depois de ler a série Cretino Irresistível, que eu não achei lá tudo isso, resolvi dar mais um voto de confiança para Christina Lauren e li Sedutor, que é o primeiro livro da série Selvagem Irresistível.

Gostei desse primeiro livro. A descrição do Ansel foi bem minuciosa e detalhista. Ele é um gato, braseeeel! A história é bem original, coisa que eu nem imaginava. Fui positivamente surpreendida.

E a parte erótica? Bom, as cenas de sexo, são bem escritas e ótimas! Fiquei viciada no livro, não conseguia parar de ler. No final, tem uma reviravolta envolvendo
Perry que foi uma boa sacada, eu realmente não tinha me ligado. Resumindo, mega recomendo!

Os livros da série:
- Sedutor
- Indecente

- Misterioso
- Mentiroso

Sobre as autoras

O livro é assinado por Christina Lauren, que na verdade é o primeiro nome das duas autoras do livro. Separadas pelo estado de Nevada, estas amigas e coautoras se falam várias vezes ao dia, concordam que Ruby Pumps é a melhor cor de esmalte que já existiu e, se pudessem escolher, passariam o dia todo olhando para o oceano a partir do cais de San Clemente.

Fonte: Skoob

terça-feira, 17 de julho de 2018

As Gêmeas do Gelo - S.K. Tremayne - Ed. Bertrand Brasil

Não sei se já comentei com vocês, mas costumo ler por uma ou duas horas na cama, antes de dormir. Mas, minha géntchy, se eu lia esse livro antes de dormir, ficava até meio tensa na hora de fechar os olhos.😶

Eu AMOOOO suspenses e thrillers psicológicos. A-M-O!!! E esse é daqueles!
Angus e Sarah são casados e tiveram duas filhas gêmeas idênticas. Uma delas morre em um acidente horrível, a outra presencia tudo e acaba trazendo à tona as lembranças da irmã morta sempre e sempre, já que só o seu aspecto físico já basta para que seus pais lembrem de sua irmã e da falta que ela faz.

Pensando em superar o insuperável, Angus muda-se com Sarah e
Kirstie para uma ilha bem isolada que ele recebeu de herança da sua avó, na Escócia. A casa é super antiga, cheia de problemas, mas a esperança de que novos ares melhorem o vazio emocional da família dá ânimo para o casal.

Do nada, Kirstie começa a falar que seus pais estão confundindo sua identidade. Na verdade, quem morreu foi Lydia. Como ambas são absolutamente idênticas, a única coisa que as diferenciava era a personalidade. Agora, Kirstie age exatamente igual Lydia, e aí o suspense começa.

O livro é muito bom, as reviravoltas e o suspense da narrativa são cativantes e amedrontadores. Para quem não se impressiona com facilidade e gosta desse estilo de livro, As Gêmeas do Gelo é um prato cheio. Eu amei!

Sobre o Autor


Pseudônimo do autor Sean Thomas, S. K. Tremayne é um romancista best-seller, premiado escritor de viagens, e um contribuidor regular de jornais e revistas ao redor do mundo. Nasceu em Devon, vive agora em Londres.

Fonte: Skoob