terça-feira, 8 de abril de 2014

Não conte a ninguém - Harlan Coben - Ed. Arqueiro




Começo essa resenha De Não conte a Ninguém - o segundo livro de Harlan que li - falando sobre a capa. Achei muito legal a imagem conseguir transmitir o mistério que traz a história e mostrar o tal do lago, tão abordado na trama.

Há pouco tempo tinha lido Desaparecido para Sempre e gostei tanto que pensei: preciso ler outro livro do autor para ver se ele mantém a qualidade nas suas demais obras. E como mantém! 


Não conte a ninguém traz o mesmo estilo de criar suspense atrás de suspense e depois ir desvendando tudo aos poucos, para então trazer ainda mais mistérios à trama. E eles se encaixam tão bem e são tão bem amarrados que você simplesmente não consegue parar de ler até chegar à última linha. Como se não bastasse, o final do livro traz uma revelação ainda mais bombástica que todo o resto. Não tenho outra palavra para dizer que não seja: sen-sa-cio-nal. 

Não é à toa que Harlan Coben está lotado de prêmios. Realmente, ele merece cada um deles. Que imaginação privilegiada!

E o melhor dos livros dele é que esses mistérios, quando desvendados, não são NADA forçados. Não ficam parecendo motivos inventados só para dar sentido à história. Eles são tão bem amarrados e fazem tanto sentido que poderiam acontecer na "vida real". Ainda mais esse livro, que conta a história de um amor tão forte capaz de vencer a morte. Os protagonistas -
David Beck e Elizabeth - se conheceram aos 7 anos de idade e, desde então, viviam grudados feito unha e carne. Na adolescência apaixonaram-se, namoraram e casaram. Quem não conhece um casal assim? Eu conheço!!

Até que Elizabeth morre depois que o casal é atacado por um serial killer. David sobrevive, mas 8 anos depois, ainda não superou a perda da esposa nem conseguiu esquecê-la. Até que, no dia em que eles completariam mais um aniversário juntos, ele recebe uma mensagem que só ela poderia ter mandado. Daí pra frente, o mundo de David vira de cabeça pra baixo. E é aí que a história se desenrola. Ficou curioso? Compra já! Vale a pena, garanto!

Entre Não Conte a Ninguém e
Desaparecido para Sempre, eu particularmente gostei mais do segundo. Mas é questão de gosto mesmo, porque a qualidade de ambos é inquestionável. 


Sobre o Autor

Harlan Coben (nascido em 4 de Janeiro de 1962) é um autor americano de livros do gênero "mistério", onde muitas vezes suas histórias envolvem casos de eventos não resolvidos no passado, como homicídios e acidentes fatais, onde até o fim do livro ocorrem diversas reviravoltas.

Coben estava em seu último ano na faculdade, quando ele percebeu que queria escrever. Seu primeiro livro foi aceito quando ele tinha vinte e seis anos, mas depois de publicar dois suspenses independente na década de 1990  (Play Dead em 1990 e Cure Miracle em 1991),  ele decidiu por uma mudança de direção e começou uma série com seu personagem Myron Bolitar. 


Os livros que compõem a série conta a história de um ex- jogador de basquete que virou agente desportivo (Bolitar), que investiga crimes envolvendo seus clientes. Coben ganhou um prêmio Edgar, um prêmio Shamus e um prêmio Anthony. Ele foi o primeiro escritor a ter recebido todos os três. Hoje, ele vive em Ridgewood, Nova Jersey com sua esposa e seus quatro filhos.

Fonte: Wikipedia

9 comentários:

  1. Ahhhh. Fica me instigando a ler estes livros. Não estou com tempo e com concentração para lê-los.

    Além disso estou lendo dois livros no pouco tempo livre que estou tendo do trabalho que são obras-primas dentre suas temáticas: "Como fazer amigos e influenciar pessoas", que é considerado o pai dos livros de auto-ajuda e "A revolta de Atlas" que é considerado o segundo livro mais influente dos EUA depois da Bíblia.

    Minha expectativa quanto ao primeiro livro foi um pouco frustrada, mas ainda não terminei de ler, devo estar pela metade.

    Quanto ao segundo, a expectativa está elevadíssima, mas ainda estou na página 33 de 1037, hehehe. Vamos ver se meus preceitos políticos neoclássicos permaneceram intactos após a leitura desta obra.

    Aí começarei uma maratona Harlan Coben de novo.

    ResponderExcluir
  2. *permanecerão intactos. Eita problemas pela falta de revisão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Oi, Eric! Caramba, só nesse comentário já deu para notar duas características suas completamente diferentes das minhas em relação à leitura.

      A primeira é que eu NÃO CONSIGO ler livros de auto ajuda. Já tentei e sou bem cética em relação às obras. Acabei desistindo e não leio mais nenhum livro desse gênero.

      A segunda é ler dois livros paralelamente. NUNCA fiz isso. Comigo, só funciona ler um de cada vez.

      Nossa, mais de mil páginas....boa sorte! =)

      beijo.

      Excluir
  3. Ei Carla! Conheci seu blog há alguns dias e gostei bastante. Parabéns!
    Harlan Coben é um dos meus autores favoritos e comecei com ele assim como vc! Com Desaparecido para Sempre seguido de Não Conte a Ninguém! Mas eu gostei mais de Não Conte a Ninguém. Fiquei totalmente cativada pelo casal principal!
    Beijos,
    Samara Infinitos livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Samy!! Obrigada pela visita, vou vistar o seu tambem!

      Excluir
  4. Você gosta muito de romances e biografias.

    O meu intuito de leitura é sempre de aprender. Dificilmente é me divertir. Mesmo quando leio romances, busco aprender alguma coisa deles.

    Já aprendi coisas para a vida lendo "Desventuras em Série", rss.

    Por isso a leitura de auto-ajuda. Os auto-ajudas que leio são sempre livros voltados para aumento de produtividade, lidar melhor com ansiedade, com medo de fracasso profissional ou coisas relacionadas com desenvolvimento, seja financeiro, profissional ou pessoal.

    Quanto ao ler mais de um livro ao mesmo tempo, você já fez isso sim, é que você só está associando leitura à literatura, e os dois não são a mesma coisa. .

    Você fez faculdade, com certeza teve que ler vários livros simultaneamente. Quando a gente faz mestrado ou doutorado, acaba se tornando mais rotineiro ler mais de um livro ao mesmo tempo.

    Isso se torna ainda mais comum quando você é uma pessoa que enjoa ou perde o foco facilmente, aí precisa de algo para distrair ou novo para refrescar a cabeça, e depois retomar o anterior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que todo mundo aprende lendo ou assimila alguma coisa. Eu sinto que aprendo muito mais le do biografias do que livros de auto-ajuda. As generalizações e o "ensinar regras que, se vc seguir certinho, vai dar certo" não me apetece. Acho que generalização nunca é o caminho. Li alguns e nuncae senti realmente "ajudada", por isso desisti. Mas eles fazem mega sucesso, né? É questão de gosto.

      Fiz faculdade de jornalismo e pós em comunicação empresarial, mas nunca li dois livros ao mesmo tempo, exatamente por ser tão focada. Preciso me concentrar em um, terminar, para então comecar outro. Beijo!

      Excluir
    2. Posso bicar a conversa de vocês?! hehehe
      Carla, eu tbm não sou fã de auto-ajuda, mas esse ano tou fazendo um desafio literário e uma das categorias era ler esse gênero. Pensei seriamente em não fazer, até achar o Sabedoria do Condado. Nele, o autor mescla a forma de vida do hobbits com uma forma de viver mais saudável. Eu AMEI! Sou super fã de Tolkien, então sou meio suspeita. Se você curte a Terra Média e tiver interesse em dar mais uma chance ao gênero, sugiro esse! ;)
      Beijos!

      Excluir